Os Recursos Humanos em Tradução

Recursos Humanos em Tradução

Perfil e Competências do Tradutor do Século XXI

Os recursos humanos em tradução. No artigo de hoje são estas as temáticas que iremos abordar:

  • O perfil e as competências do tradutor do século XXI.
  • A prioridade dos recursos humanos.
  • Critérios de seleção e qualidade.
  • O perfil do tradutor.
  • A fidelização dos colaboradores.

 

Perfil e competências do tradutor do século XXI

 

No ano em que iremos comemorar o nosso 25.º aniversário, impõe-se uma atualização sobre o perfil que preconizamos para o tradutor do século XXI e sobre as suas respetivas competências.

 

Quando abrimos portas em 1996, não há dúvida de que as competências exigidas ao tradutor eram algo diferentes: menos dependentes de ferramentas informáticas, mais centradas nos usos linguísticos.

 

Independentemente das mudanças que foram ocorrendo ao longo dos anos, na ABC, sempre atribuímos a maior das prioridades aos nossos recursos humanos.

 

Critérios de seleção e qualidade

 

Em traços gerais, a empresa de tradução deve dispor de um procedimento documentado que lhe permita selecionar os seus colaboradores, internos e externos, de acordo com determinados critérios de qualidade que, no nosso caso, passam pelas competências:

 

  • linguísticas e de tradução;
  • de pesquisa;
  • culturais e técnicas;
  • informáticas (uso de ferramentas de apoio à tradução).

 

A formação superior em Tradução ou, alternativamente, a experiência comprovada de 5 anos em tradução são o ponto de partida.

 

O perfil do tradutor

 

Em termos de perfil, é importante que o tradutor seja rigoroso, pontual e flexível. A polivalência é, também, uma qualidade cada vez mais apreciada, bem como a curiosidade e a proatividade. Na ABC, gostamos de quem gosta de palavras.

 

Os recursos humanos em tradução são um enorme desafio e a nossa experiência de quase 25 anos de vida empresarial no setor da tradução dita-nos que, acima de tudo, é importante que os colaboradores em questão sejam, de facto, tradutores a tempo inteiro, isto é, que vivam da tradução no sentido da compreensão dos seus imponderáveis, prazos apertados e mecanismos próprios.

 

Se o negócio depende, em grande parte, da fidelização de clientes, arriscamo-nos a dizer que, em certa medida, também depende da fidelização de colaboradores:

 

  • pagamentos atempados;
  • entrega de ficheiros de trabalho editáveis;
  • envio de material de consulta ou referência, de memórias de tradução ou de bases de dados terminológicas, entre outras;
  • apoio no esclarecimento de dúvidas junto do cliente final.

 

Nesse capítulo, temos o privilégio de contar com alguns colaboradores externos desde a primeira hora; tradutores externos que, em casos de “emergência”, nos dão prioridade em detrimento de outras empresas concorrentes.

 

Neste momento, contamos com cerca de 40 colaboradores, na sua maioria externos. Podemos afirmar que a maioria trabalha connosco há mais de 10 anos e que conhecemos relativamente bem cada profissional, o que minimiza tempos de revisão e acelera a melhoria contínua.

 

Conclusão

 

Em 25 anos, houve uma série de mudanças a nível dos nossos recursos humanos, contudo, os princípios e citérios que nos norteiam são os mesmos e estamos permanentemente à procura de colaboradores com novas valências.

 

Se procuras novas oportunidades de trabalho e te identificas com o que acabaste de ler, contacta-nos através do e-mail ana@abctraducoes.pt.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

NEWSLETTER ABC

ABC Traduções | Todos os Direitos Reservados Ⓒ 2019