Traduzir: um biscate que qualquer pessoa pode fazer

traduzir

No artigo “Como distinguir um Tradutor de um Paraquedista” falei sobre a necessidade de distinguir um Tradutor (no verdadeiro sentido da palavra) de um tradutor. Mas porque é que no nosso mundo navegam tantas pessoas disfarçadas de Tradutores?

Será que o sonho das crianças deixou de ser Ser Astronauta ou Ser Médico/a para passar a ser Ser Tradutor/a?  Ou será que na verdade todos temos uma costela de tradutor?

Se pegarmos num dicionário e procurarmos a palavra “Tradutor”, a definição mais curta e direta que encontramos é:

“aquele que traduz”.

Bem, então… (reflete o sábio tradutor), se é só aquele que traduz acho que qualquer pessoa pode fazer isso! É normal que que quem tenha alguns conhecimentos básicos na língua inglesa possa traduzir um documento de inglês para português, ou até o contrário! Qual é a dificuldade? É só traduzir, custa lá alguma coisa… E aquelas pessoas que viveram uma temporada no estrangeiro? Essas ainda têm mais direito do que as outras! Estiveram lá, absorveram a cultura, aprenderam a língua de destino, parece-me que têm mais do que direito de ser tradutores, pois então.

Ah, mas é verdade… afinal esta empresa pede que eu tenha um certificado ou pelo menos 2 anos de experiência… Bolas! Onde é que vou arranjar isso agora? Ah… na verdade também não estou a perceber bem este texto em francês, vou pedir à minha prima que está na França, ela trata disto… Opa realmente é só entraves! Agora este cliente precisa que a tradução seja certificada, eu agora sei lá como é que se faz isso, um tradutor só traduz, como diz nos dicionários!

Isto de lidar com clientes é complicado… vêm com cada pedido, é traduções urgentes como se isto fosse um hospital, é pedidos para fazer transcrições, eu sei lá o que é isso!

Muitas destas pessoas, que pensam assim, e que agem deste modo, não são tradutores TODOS OS DIAS, não são tradutores profissionais, fazem-no como biscate, como um ganho extra e claro, ao fazê-lo assim, torna-se fácil “traduzir”. Torna-se fácil quando não dependemos de uma profissão para sobreviver. Estas pessoas, provavelmente, nunca terão a noção da complexidade que é Ser Tradutor.

Um Tradutor que faz da tradução a sua profissão (como deve ser) lida com textos e com clientes com necessidades específicas diariamente. Um Tradutor não traduz “qualquer coisa” este especializa-se na área que considera traduzir de forma mais eficaz, este estuda diariamente para ser um Tradutor cada vez melhor.

Um slogan mal traduzido pode estragar o seu negócio, uma ementa mal traduzida irá deixar o seu restaurante com uma má imagem e poderá induzir o seu cliente em erro. Como mostrei no artigo anterior, uma má tradução até pode desencadear conflitos internacionais!

Assim, se pretende um serviço de tradução, pesquise, pesquise muito, não contrate um tradutor com a menor tarifa de todos apenas porque é um serviço barato. Ao pagar por um serviço de tradução não está apenas a pagar pelo momento da tradução (que já é complexo), está também a pagar pelo tempo do tradutor, o tempo de pesquisa, de adaptação textual à cultura de destino. Além disto, está a pagar toda a formação e trabalho que o Tradutor teve para poder exercer a sua profissão DIARIAMENTE e poder entregar traduções que realmente cumprem o seu propósito.

Independentemente dos seus critérios, pense nos seus objetivos e – sobretudo – escolha um profissional da tradução, alguém que faça deste labor um modo de vida. As diferenças serão visíveis!

Escolha um Tradutor Profissional. Escolha um Tradutor ABC!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *